Governo Bolsonaro encara pressão de atender 24 milhões sem os médicos cubanos

Após decisão de Havana de rejeitar condições de eleito, Governo brasileiro lançará edital para preencher vagas. Outras 1.600 posições já estavam ociosas. Prefeituras protestam