Slavoj Zizek: “As pessoas estão dopadas, adormecidas. É preciso despertá-las”

O filósofo esloveno diz não defender o velho comunismo, e sim um novo comunitarismo globalista. Os novos desafios, afirma, são a ecologia, a renovação do Estado do bem-estar e a prevenção da “guerra digital cognitiva”