“A principal forma de Marielle lutar era reforçando que nosso amor era legítimo”

Edição Brasil no EL PAÍS El País

A vereadora Marielle Franco (PSOL) e o motorista Anderson foram brutalmente assassinados há quase 90 dias, sem que nenhum suspeito ainda tenha sido apontado. Ainda sem saber quem mandou matar sua companheira, Mônica Benício prestou uma homenagem a Marielle em um vídeo publicado pela ONG Anistia Internacional, defensora dos direitos humanos em todo o mundo. Nele, Mônica fala sobre as idas e vindas de um relacionamento de 14 anos e fala da importância para ela e Marielle de lutar pelo amor e todas as formas de família. "Marielle lutava na casa LGBTI... Para além da questão do Parlamento, [isso significava] a divulgação da vida pública dela, não esconder o relacionamento que a gente tinha, reforçar que isso era um amor legítimo, feliz, e que nossas famílias existem. Eu acho que essa era a principal forma dela lutar nessa causa. A gente tinha que ficar autoafirmando que esse amor é legítimo".

Seguir leyendo.

, , , , , , , , , , , , ,

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

%d bloggers like this:
Read previous post:
La fiebre por el Mundial invade México: Así aprenden ruso los hinchas mexicanos

En México también se respiran aires de Mundial con campañas publicitarias que incluyen palabras rusas y un creciente interés por...

Close